Sing Street: Uma linda homenagem ao pop rock dos anos 80

Atualizado: 2 de Ago de 2019

O sonho de muitos garotos ao redor do mundo é montar uma banda. E se isso fosse motivado apenas para impressionar uma garota? É com essa ideia que se desenvolve toda a história de Sing Street (2016), filme irlandês escrito e dirigido por John Carney.



Em 1985, Conor “Cosmo” Lawlor (Ferdia Walsh-Peelo), um garoto de Dublin precisa mudar um colégio particular para uma escola pública. Durante os primeiros dias em que tem que enfrentar vários bullys, um padre-diretor extremamente rigoroso e consegue apenas fazer um amigo.


Um dia, ele conhece Raphina (Lucy Boyton), uma garota que mora em uma república em frente a escola. Então, a única forma dele pedir o telefone dela, foi dizer que ele fazia parte de uma banda e estava procurando uma modelo para gravar um vídeo. Depois disso, obrigatoriamente, Cosmo precisa formar uma banda.


A partir disso que desenrola toda a história de Sing Street, Um filme com uma temática meio adolescente, mas que deve agradar muitos adultos. Confira o trailer

Motorhead, Duran Duran, The Cure e outros artistas participam da trilha de Sing Street.


Eu poderia falar muito bem das cenas em que essas faixas aparecem, mas as canções originais são o principal destaque de todo o filme.

As músicas originais do filme foram compostas por Gary Clark, músico da banda de pop rock escocesa Danny Wilson. Acredito que isso foi essencial para a sonoridade tão próxima do que estava rolando no meio dos anos 80, época em que se passa o filme.


Ao longo do filme, Cosmo é bastante orientado pelo seu irmão mais velho – e guru musical – Brendan. Ele vai guiando as influências do protagonista; isso é refletido bastante no figurino e nas canções que são compostas pelo personagem.


No filme, The Riddle Of The Model foi a primeira canção feita por Cosmo para tentar conquistar Raphina. Ela tem uma influência bem clara das bandas de pós-punk e synthpop. No clipe gravado durante o filme, é interessante ver algumas referências no figurino que fazem lembrar de Culture Club, PIL e outras bandas dessa época.

Uma das cenas mais bonitas do filme é Cosmo e o guitarrista Eamon (Mark McKenna) criando a canção Up. Ela mostra todo o processo de composição comum em muitas bandas. Estar sentado no quarto, rabiscando os primeiros versos e desenvolvendo a melodia no violão. Quem tem ou já teve banda, vai entender bem o sentimento.

Em um determinado momento do filme, Raphina diz que Cosmo deveria escrever músicas “tristes felizes”. Na sequência, Brendan apresenta ao protagonista um vinil do The Cure. Após isso, a banda de Robert Smith passa a ser uma influência para os jovens musicalmente e visualmente.


Na cena em que os meninos estão gravando o vídeo de Beautiful Sea, isso fica bem claro. Uma pena que a faixa aparece tão pouco no filme, pois ela é um lindo tributo ao The Cure e artistas que fazem músicas “tristes felizes”.

Outra cena com uma canção original que merece destaque é a preparação para o clipe de Drive It Like You Stole. Cosmo decide usar sua imaginação para criar um vídeo perfeito para sua banda, inspirado nos famosos bailes de formatura americanos. Além dos figurantes não conhecem bem suas referências, sua musa inspiradora também não aparece na gravação.


Contudo, a imaginação do protagonista cria toda uma cena com a participação da sua família e a presença de Raphina durante a apresentação. A ideia de “expectativa X realidade” deixa tudo bem interessante na sequência.

Sing Street é um filme muito gostoso de assistir, principalmente se a pessoa deseja apenas diversão. Pois, em alguns momentos o enredo é bastante “fantasioso” e foge da realidade. Sem dúvidas, ele é uma linda homenagem a muita coisa que surgiu na música nos anos 80.


Para os músicos que tiveram banda na adolescência, muitas e muitas situações podem ter um apelo nostálgico. É bastante interessante ver como a banda evolui durante o filme.


Já para os fãs de música em geral, a trilha sonora de Sing Street é bastante convidativa. Tanto as músicas de artistas mais famosos, quanto as canções originais possuem uma ótima conexão com o roteiro.


Então fica a dica: quem quiser assistir ao filme, ele está disponível na Netflix. Então, se você se interessou pelas faixas originais e quer ouvir a trilha sonora inteira, basta dar o play abaixo:


Redes Sociais

Telefone

Celular: (13) 99125-3393

  • Black Facebook Icon
  • Black LinkedIn Icon
  • Black Twitter Icon
  • Instagram - Black Circle